Histórico do TRIZ

Andreza Domingues, Wagner Dutra,
Márcia Nunes e Péricles Raggio


Curriculo do grupo

O Teatro Por Um Triz, nasceu em 1996 com a proposta de pesquisar a associação do trabalho de ator com as diversas linguagens do Teatro de Animação.  Ao longo de mais de 20 anos produziu diversos espetáculos, intervenções cênicas, contações de histórias e ministrou oficinas. Seu repertório apresenta releituras de clássicos infantis, resgate de contos populares e temas atuais, abordando estes universos com humor e espírito crítico, respeitando a inteligência e a sensibilidade da criança.

Seguem datas e informações sobre os trabalhos do grupo:

2018 – Contemplado com o PREMIO ZÉ RENATO da Secretaria de Cultura de São Paulo para a produção do espetáculo OS CISNES SELVAGENS  (nome provisório), o grupo está pesquisando a linguaguagem do Teatro de Papel para a montagem que tem estreia prevista para agosto de 2018..

2017 – Participou dos seguintes festivais na Espanha:
FESTIVAL TITIRIJAI, Tolosa e BILBAO TX PUPPET FESTIVAL, Bilbao no país Basco e FESTITÍTERES, Alicante – Espanha, apresentando seu espetáculo PINÓQUIO ETC E TAL em espanhol para o público das cidades de Tolosa, Pasaia, Sestao, Bilbao, Alicante e Alcoi.

Montou CAIXA DE BRINQUEDO” - VIVÊNCIA LÚDICO-CÊNICA -  para crianças de 0 a 3 anos e adultos acompanhantes. Primeiro trabalho do grupo voltado para a Primeira Infância.

2016 – O grupo completou 20 anos.
-Participou, com 05 espetáculos do seu repertório, do Festival Kids de Férias no Teatro MuBE Nova Cultural - de 23 de janeiro a 06 de março;
- MOSTRA 20 ANOS DO TEATRO POR UM TRIZ nos Sescs Ipiranga, Piracicaba e Taubaté.

2015 – “O MISTÉRIO DO SAPATO DESAPARECIDO”
Inspirado em um dos sapatos mais famosos da literatura infantil, o Sapatinho de Cinderela, montagem explora as possibilidades expressivas dos sapatos dentro da linguagem do Teatro de Objetos. Texto e direção de Márcia Nunes e Péricles Raggio. Estreou em junho de 2015 e realizou temporada no Teatro MuBE Nova Cultural e Teatro Armazém Cultural SP.O espetáculo foi indicado pelo crítico Dib Carneiro Neto como segundo melhor espetáculo infantil de 2015Os melhores de 2015 – Guia da Folha de 25 a 31 de dezembro de 2015.
- Selecionado para o 12º Festival de Teatro da Amazônia, foi apresentado no Teatro Amazonas, Manaus, dia 27 de março de 2016.
- Circulou através do projeto “O MISTÉRIO DO SAPATO DESAPARECIDO Deixando Pegadas Por São Paulo”, aprovado no PROAC Nº 08/2016, por 08 municípios do Estado.

2013 – “ÁGUAS DE L’AVAR” e “O AVARENTO de Molière - versão hídrica”
Pela terceira vez contemplado pela Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, juntamente com o Teatro de La Plaza, estreia os espetáculos com direção de Héctor Lopes Girondo, cenografia de Miguel Nigro, preparação corporal de Débora Serretiello, trilha sonora de Luciano Carvalho e assessoria artística do bonequeiro espanhol Jordi Bertran.

2012 - “VASSILISA, A SABIDA”
A peça é uma adaptação de um conto tradicional russo. O grupo utiliza apenas tecidos e caixas para a criação de cenários e bonecos. Direção de Lílian Guerra.

2012 - “MALAZARTE EM TODA PARTE”
Adaptação de contos que trazem o espírito deste tradicional personagem do folclore brasileiro, com direção de Márcia Nunes. Estreou no SESC Pompéia, entrou em temporada no SESC Ipiranga (2013) e participou do Projeto Literatura Viva do SESI (2013 e 2014).

2010 - “A CRIATURA”
Contemplado pela segunda vez com a Lei de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, juntamente com as Cias. Patética e Teatro de La Plaza, estreia o espetáculo em 2010, com direção de Héctor Lopes Girondo, cenografia de Miguel Nigro, preparação corporal de Débora Serretiello e trilha sonora de Luciano Carvalho. Ficou em cartaz no Teatro Paulo Eiró (2010) e foi indicado para o Prêmio da Cooperativa Paulista de Teatro na categoria melhor elenco.

2008 - “SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO”
Produzido com o Prêmio de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo e Prêmio Produções Inéditas do SESI Vila Leopoldina, juntamente com as Cias Patética e Teatro de La Plaza. O espetáculo teve direção de Héctor Lópes Girondo, cenografia de Miguel Nigro e preparação corporal de Débora Serretiello.
Cumpriu temporada no SESI Vila Leopoldina (2008) e em todos os CEUS – Centros de Educação Unificada da Prefeitura Municipal de São Paulo (2008/2009).
Participou da VIAGEM TEATRAL SESI (2009). Recebeu o prêmio QUALIDADE BRASIL de melhor espetáculo infanto-juvenil (2008).

2005 - ”PATINHO FEIO – O VOO DE ANDERSEN”
Com o bicentenário de nascimento de Hans Christian Andersen, primeiro autor de literatura infantil, o grupo iniciou uma pesquisa sobre a biografia deste importante artista e se deparou com seu trabalho plástico pouco conhecido: silhuetas de papel recortadas, representando figuras recorrentes em seus contos, como bailarinas, cisnes e duendes. A partir deste material tão rico, o grupo propôs ao SESC Pompéia a criação de uma exposição lúdica sobre Andersen, que teria a orientação técnica do cenógrafo Márcio Tadeu. O espetáculo ”PATINHO FEIO – O VOO DE ANDERSEN”, com direção de Cris Lozano, estreou na exposição ANDERSEN 200 ANOS (2005) realizando mais de 70 apresentações.
Realizou temporada nas seguintes salas de espetáculo de São Paulo:
- Teatro Folha (2007); Centro Cultural São Paulo (2006); Teatro Humboldt (2006); SESC Pinheiros (2006), Teatro Arthur Azevedo (2008); Bibliotecas Municipais de São Paulo (2012).
Participou da FITA – Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis – RJ (2010).

2002 – “PINÓQUIO ETC E TAL”
A convite do SESC Pompéia monta o espetáculo para a exposição “120 ANOS DE PINÓQUIO” e convida Henrique Sitchin da Cia. TRUKS para dirigir a montagem.
 “PINÓQUIO ETC E TAL” realizou temporada nas seguintes salas de espetáculo de São Paulo:
- Teatro Folha (2003); Teatro João Caetano (2004); Teatro Jd São Paulo (2005); SESC Pinheiros (2008), SESC Pompéia (2008); CEUS – Centros de Educação Unificada da Prefeitura Municipal de São Paulo (2004); AÇÃO ARTE-EDUCAÇÃO SESI (2013 e 2014); VIAGEM TEATRAL SESI 2010.

- Participou dos seguintes Festivais na Espanha:
FESTIVAL TITIRIJAI, Tolosa e BILBAO TX PUPPET FESTIVAL, Bilbao no país Basco e FESTITÍTERES, Alicante – Espanha. O espetáculo foi apresentado em espanhol para o público das cidades de Tolosa, Pasaia, Sestao, Bilbao, Alicante e Alcoi

            Recebeu os seguintes prêmios:
- Melhor Espetáculo Infantil - FITA – FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO DE ANGRA (nov/2009);
- Melhor Espetáculo; Melhor Espetáculo Infantil pelo Júri Popular; Melhor Direção; Melhor Cenário; Melhor Sonoplastia e Melhor Atriz Coadjuvante - FESTIVAL NACIONAL DE TEATRO DE PINDAMONHANGABA (2004).
           
2001 – "ALMANAQUE DE ARAQUE"
Com texto de Antônio Rogério Toscano (convidado para desenvolver a dramaturgia a partir de uma ideia original do grupo) e direção de Edu Silva, da Cia PicNic Núcleo2. O espetáculo traz para o palco uma aventura no mundo dos jogos de almanaque e fez parte da exposição “A VOLTA AO MUNDO EM 80 JOGOS” nos SESCs Consolação e Araraquara.
Ficou em cartaz no Teatro Flávio Império (2002), no SESC Ipiranga (2002). Participou da 2a MOSTRA SESI DE TEATRO INFANTIL (2003). Ganhou o Prêmio de Melhor Espetáculo Infantil no XXV Festival de Pindamonhangaba (2001).

1999 – “PRINCESAS DAQUI E DALI”
Com este trabalho inicia a pesquisa com bonecos de manipulação direta. O espetáculo, sob direção de Cristiana Gimenes, faz uma releitura dos Contos de Fada.

1998 – "O CORONEL E O CURUPIRA"
Trabalhando com bonecos de luva e com o universo da cultura popular, o grupo conta alguns mitos e lendas do nosso folclore.

1997 – “HISTÓRIA DOS FIOS”
Criação coletiva, que explorava o universo da cultura popular nordestina e trabalhava com bonecos de luva, inspirados no Mamulengo.

1996 – “VIVA MÁQUINA”
Esquete criado por Márcia Nunes e Péricles Raggio, juntamente com o músico Loop B. Este primeiro trabalho foi apresentado na abertura do Festival Internacional de Teatro de Animação, no SESC Ipiranga, em junho de 1996 e deu origem ao grupo Teatro Por Um Triz.
Em 2016, o grupo remontou o esquete para a MOSTRA 20 ANOS DO TEATRO POR UM TRIZ no SESC Ipiranga.



Nenhum comentário: